7 melhores filmes que assisti em 2015

7 melhores filmes que assisti em 2015

Listas de melhores filmes de 2015 não faltam por aí. Você pode confiar no IMDb, no CinePop, no Metacritic ou até no poder da pirataria. Mas o que te ofereço aqui é uma lista pessoal e intransferível. Receba e aceite como sugestões de um amigo negro que sua mãe diz para tomar cuidado e não deixar sozinho na sala (já rolou isso contigo que eu sei).

7 – Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força (2015)

Finalmente pude fazer parte de uma experiência Star Wars e entender o completo fanatismo que os fãs (“fanatismo de fãs” é pleonasmo, não?) tem pela saga.

Sem dúvida foi o filme mais emocionante de se assistir em 2015, mas os motivos são extra-filme, então sem contar a apelação, sétimo é uma posição justa.

Não se preocupe, com certeza teremos outras oportunidades de conversar mais sobre Star Wars por aqui.

6 – Divertidamente (2015)

Inside Out.jpg

A Disney foi tão certeira neste filme que até me arrisco a dizer que foi certeira demais.

Sim, Divertidamente é um filme que toda a família pode assistir junta. Mas enquanto para as crianças essa é uma história divertida e colorida, para adultos essa é uma história triste, profunda e depressiva.

Vale a pena chorar de novo.

5 – Drive (2011)

drive-5.jpg

Assisti esse filme despretensiosamente numa daquelas noites que você abre a Netflix quase sem querer. Wow, que filme fantástico. A trilha sonora não sai da minha cabeça até hoje.

4 – Cães de Aluguel (1992)

reservoir-dogs-caes-de-aluguel-quentin-tarantino.jpg

Último filme do Tarantino que me faltava (pelo menos dos que importam). Como não podia ser diferente, fui surpreendido por uma trama muito diferente do que imaginava para um filme de assalto.

3 – Mad Max (2015)

MadMax-Fury-Road.jpg

Mad Max sempre foi uma lenda em nosso imaginário desde aqueles clássicos filmes dos anos 80. Mas depois de 2015 eu nem lembrarei mais de quem foi Mel Gibson. Sério, tive até que pesquisar para lembrar quem era.

Mad Max redefiniu todo um universo sendo completamente fiel a ele. Ou seja, fez a mesma coisa que Star Wars, só que melhor.

2 – Se7en (1995)

Seven 1995.jpg

Mais um filme que tive o prazer de assistir “no escuro”, sem saber nada além do nome e da presença dos dois atores principais. O resto foi tudo surpresa.

E quanta surpresa. Por mais que desde o começo do filme eu já estivesse pescando algumas coisas, ainda assim é de explodir a cabeça o modo como tudo acontece.

1 – Beasts of no Nation (2015)

beastsofnonation.jpg

É estranho indicar esse filme, porque dizer que ele é bom talvez não seja a maneira mais adequada de descreve-lo. Eu, assim como várias outras pessoas, não consegui assistir o filme inteiro de uma só vez. Assisti metade, parei e só voltei a assistir no outro dia. Motivo: o clima é muito pesado.

Sinal de que o filme retrata perfeitamente aquilo que deseja, o horror das guerras civis africanas.

Batman vs Superman: roteiro inspirado em Sandy e Júnior? Sim!

Batman vs Superman: roteiro inspirado em Sandy e Júnior? Sim!

Muitos estão ansiosos para ver Batman vs Superman no cinema e finalmente entender porque os dois grandes heróis da DC vão lutar entre si, com tanto super vilão solto por aí. Claro que, graças ao inacreditável clima de antecipação que é criado pelos estúdios nos dias de hoje, já sabemos há anos que esse filme é uma “desculpa” para montar a Liga da Justiça e finalmente tentar concorrer com o sucesso de Vingadores (aquele grupo que ninguém conhecia e que parecia imitação de Liga da Justiça quando mencionado. Parece que o jogo virou, não é mesmo?), da Marvel.

Mas, ao ver os dois primeiros trailers, tive a legítima impressão de que já conhecia aquela história. E foi ao cantarolar uma música por acaso na hora da faxina (diário do macho moderno) que me lembrei de onde já tinha escutado esse roteiro. Da música…

Super Herói, de Sandy & Júnior

Primeiramente, excelente interpretação de Júnior, muito emocionante, surpreendendo a todos nós logo no último álbum dessa dupla que mora nos nossos corações, o Acústico MTV. Segundamente, dê o play no vídeo para acompanhar comigo a análise desse trailer e como ele casa bem com essa música.

Já no primeiro verso a música casa perfeitamente com a primeira cena do trailer, que mostra o conflito entre as visões da população sobre o Super Homem. Uma estátua, prova de adoração e homenagem, pichada com um protesto mostra a confusão pela qual o próprio Clark passa internamente em todas as diversas jornadas já mostradas de sua história.

Em sua jornada clássica, Clark sempre tem como seu maior desafio o de encontrar seu destino verdadeiro na Terra, sempre seguindo os ensinamentos de seu pai Jonathan Kent. A caminhada de Clark é em busca do autoconhecimento.

Em seguida a música parece falar sobre Bruce. Quem assistiu a trilogia do Batman do Nolan sabe que Bruce batalhou muito para ser mais do que o bilionário herdeiro do império Wayne. Seu objetivo sempre foi ser além do rosto por trás de uma companhia rica e salvar sua cidade do mal que levou seus pais.

Porém como fazer isso, como enfrentar tudo e todos sendo apenas humano? Nesse caso, como enfrentar um “Deus” sendo apenas humano?

No refrão, temos o casamento perfeito da cena mais icônica dos trailers até agora. Uma frase que já entrou para a história do cinema mesmo antes do filme ser lançado (aquele lance da antecipação, lembra?).

Depois deste post, estou mais ancioso por um novo álbum de Sandy & Júnior do que para o filme Batman vs Superman: Dawn of Justice.

Observação: para fins dramáticos do post, desconsiderei totalmente que a música de Sandy & Júnior é uma versão nacional da música Superman (It’s Not Easy), do Five for Fighting, que por sua vez é baseada no próprio Superman, o que facilita muito a relação entre a canção e qualquer história do homem da capa.

5 mulheres mais atraentes do que Scarlett Johansson

5 mulheres mais atraentes do que Scarlett Johansson

Ontem apareceu algo tão raro quanto a passagem do cometa Harlem: uma imagem de Scarlett Johansson nua, pelada e sem roupa. Segundo a atriz, essa foi a primeira e última vez que ela aparecerá em um nu frontal em um filme. Nós, da internet, já vimos os nus lateral e traseiro da moça em outra ocasião, mas dessa vez a reação foi curiosamente diferente. Enquanto da primeira vez surgiu o meme Scarlettjohanssoning, ontem as primeiras idéias giraram em torno de “ah, ela não é tão bonita assim”, “tenho ‘amigas’ mais bonitas” e “já peguei melhores”.

Bom, como não sou um cara cético, apesar de duvidar muito dessas afirmações, fui procurar mulheres mais atraentes que a nossa amada LetLett. E não é que encontrei 5?

5) Sarah Jordan (A Ilha)

Jordan_Two_Delta-1024x670

4) Meg Windermere (Falsária)

Meg-Windermere

3) Barbara (Don Jon)

Barbara-1024x682.jpg

 

2) Natasha Romanoff (diversos da Marvel)

Natasha-Romanoff

1) Samantha (Ela)

Samantha

 

Essa última consegue fazer um cara se apaixonar por ela apenas com a voz e mesmo sendo apenas um computador.

 

her

Como poderia ser Tropa de Elite 3

Maior sucesso do cinema nacional, Tropa de Elite teve dois filmes de enredos bem fechados. Porém o mínimo que se espera de uma trilogia são 3 partes, então resolvi imaginar como seria a continuação.

Tropa de Elite 3 – O Gigante Acordou

tropa-de-elite-3-o-gigante-acordou

Copa do Mundo de 2014. Depois da onda de manifestações ocorrida na Copa das Confederações, o agora Secretário de Segurança Nascimento se vê diante do maior desafio de sua vida. O país inteiro é uma bomba relógio, prestes a estourar diante do mundo inteiro. Controlar os protestos usando policiais sob extrema pressão da sociedade vai ser apenas um dos desafios, já que além de tudo é ano de eleição e nos bastidores a politicagem fará de tudo para manter o sistema ou aproveitar o momento para aperfeiçoa-lo.

Conseguirá Nascimento impedir o inevitável?

Democracia ou morte?

Brasil vai ser Hexa?

Continuar lendo “Como poderia ser Tropa de Elite 3”

Exclusivo! Primeiras imagens de Ben Affleck nas filmagens de Man of Steel

A essa altura você já deve saber que Ben Affleck estará na sequencia do filme Man of Steel (Homem de Aço). A reação dos fãs a essa notícia não podia ser pior. Tem gente arrancando os cabelos e conjurando pragas contra a DC, mas o que está feito, está feito.

O Negão Internauta, em um enorme furo de reportagem, correu atrás e conseguiu imagens exclusivas do set de filmagens. Confira.

Ben Affleck Man of Stell Ben Affleck Man of Stell 2 Affleck Man of 3 Ben Man of Stell 4 Man of Stell 5

Curtiram?

Isso é racismo? O filme proibido da Disney.

Em 1942, a Walt Disney produziu o filme A Canção do Sul (Song of the South), baseado nas obras de Joel Chandler Harris sobre ‘Brer Rabbit’, personagem tradicional da cultura afro-americana.

No filme da Disney, porém,  Tio Remus (que aparece nesse vídeo) é retratado com o esteriótipo típico do negro pós-Guerra da Secessão, a famosa Guerra Civil Americana entre o norte industrializado e o sul escravocrata. O ator James Baskett, que interpretou Tio Remus e deu voz a antagonista Br’er Fox no filme não pode participar do lançamento do filme, devido as leis segregatícias do estado da Georgia (até hoje um dos mais racistas dos EUA).

Devido a essa controvérsia, o filme foi lançado apenas para VHS e até hoje sofre diversos cortes quando relançado em coletâneas.

 

Looney Tunes – Golden Collection Volume Four

Diferente da Disney, a Warner Bros. relançou alguns de seus clássicos em forma de coletânea e fez questão de não censura-los. O aviso presente nos DVDs explica:

Os desenhos que você está prestes a ver são os produtos de seu tempo. Eles podem apresentar alguns dos preconceitos étnicos e raciais que eram comuns em sociedade americana. Estas representações estavam erradas na época e ainda são erradas hoje. Apensar de os desenhos a seguir não representarem a opinião da Warner Bros sobre a sociedade de hoje, eles estão sendo apresentados como foram originalmente criados, porque fazer o contrário seria o mesmo que afirmar que esses preconceitos nunca existiram.

 

Talvez fosse conveniente a Disney fazer o mesmo, mas duvido que veremos Der Fuehrer’s Face ser relançado

Star Wars: imagens do set de filmagem de abandonado

Uma das principais características da trilogia original de Star Wars e que se tornou marcante para os fãs da série e aficionados por cinema é a pouca utilização de computação gráfica, as famosas CGs, para um filme de ficção científica. Entre as diversas alternativas utilizadas pelos produtores para realizar um filme daquela magnitude com um baixo orçamento e com pouco auxílio de computadores foi a montagem de um set inteiro de filmagens do meio do deserto.

A fotógrafa Rä di Martino passou um mês viajando pela Tunísia para encontrar e fotografar os sets de filmagem da trilogia original de Star Wars. Ao contrário do que se possa imaginar, a localização dos sets não é tão conhecida e Martino levou um bom tempo para encontra-lo, contando com a ajuda do Google Maps e de um motorista local.

O visual das construções nos dá a real impressão de estar fora na Terra, mais especificamente nos locais narrados na trilogia e conhecido de todos. É possível se sentir o jovem Luke Starwalker caminhando pela vila onde este teve contato com C3PO e D2R2 pela primeira vez.

Ela também descobriu que abandonar os sets inteiros é um comportamento comum da indústria, deixando essas espécies de ruínas arqueológicas pra trás. Isso não deve ser tão comum atualmente, já que a maior parte dos filmes é rodada dentro dos estúdios, com os atores em frente a enormes telas verdes, que mais tarde serão preenchidas com cenários através da computação gráfica.

Set abandonado de Star Wars

set de star wars abandonado tunísia Continuar lendo “Star Wars: imagens do set de filmagem de abandonado”

Esbarrando na lâmpada

Quando Eddie leva Roger Rabbit para uma sala nos fundos do bar onde Dolores trabalha para cortar as algemas e separa-los, ele acerta a cabeça várias vezes na lâmpada do lugar, que fica balançando durante a cena. Houve muito trabalho extra foi necessário para fazer as sombras reais e da animação corresponderem, por muito pouco benefício espectador.

Hoje, “esbarrar na lâmpada” (Bump the Lamp) é um termo usado por muitos funcionários da Disney para se referir a trabalhar muito em um efeito apenas para torná-lo um pouco mais especial, mesmo sabendo que a maioria dos telespectadores nunca vão notar.

 

 

10 cenas inesquecíveis que não estavam no roteiro

10 cenas inesquecíveis que não estavam no roteiro

Arma x Espada

(Os Caçadores da Arca Perdida)

Enquanto perseguia Marion (Karen Allen) depois que ela foi sequestrada, Indiana Jones (Harrison Ford) é parado por um cara vestido todo de preto de com uma espada gigante na mão. Em vez de lutar, Indy simplesmente puxar o revólver e acabar com a história com apenas um tiro.

O roteiro original previa uma longa luta, mas um dia antes Ford teve um caso grave de intoxicação alimentar e não tinha a energia para filmar a cena como está escrito. Depois de uma discussão com o diretor Steven Spielberg, a cena mudou e tornou-se uma parte icônica de Indiana Jones.

Continuar lendo “10 cenas inesquecíveis que não estavam no roteiro”

Títulos nacionais de filmes melhores que os originais

fe demais

Dica do Rob Gordon

Título Original: Leap of Faith (algo como “Salto de Fé”)

Título Nacional: Fé Demais Cheira Bem

Tempo que eu demorei para entender o trocadilho: 15 minutos.

Mudança de Hábito

Título Original: Sister Act (algo como “Ato de Irmã (?)”)

Título Nacional: Mudança de Hábito

Tempo que eu demorei para entender o trocadilho: 20 anos.

filme01

Dica do Vitor Hugo

Título Original: White Men Can’t Jump (algo como “homens brancos não sabem pular”)

Título Nacional: Homens brancos não sabem enterrar

Título em Portugal: Branco não sabe meter

Tempo que eu demorei para entender o trocadilho: 0,00001 segundos

 

Tem alguma dica de título melhor que o original? Mande para gente!