football-manager-2015-icone

Football Manager: descubra seu verdadeiro time do coração

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

O grande

Por meados de 1992, me questionaram para que time eu torcia. Por algum motivo que não sei bem porque, respondi Palmeiras e essa foi a minha resposta pelos anos que se seguiram. Claro que não foi difícil aprender a gostar daquele time que escolhi quase que aleatoriamente baseado no meu pífio conhecimento de futebol. Para quem gosta de futebol, se apaixonar por qualquer clube grande é muito fácil, porque todos possuem grandes momentos e ídolos em sua história. Mais fácil ainda era gostar do Palmeiras nos anos 90.

Palmeiras de 1993  (Football Manager)

Craques, títulos, uniforme bicolor e patrocínio da Parmalat: era humanamente impossível não gostar desse time.

Essa relação de amor só se fortaleceu com o decorrer dos anos, nos altos e nos baixos, seguindo a lógica. Porém que lógica havia nisso?

O pequeno

Evolução dos Escudos do Cianorte  (Football Manager)

Apesar de sempre me declarar palmeirense, acompanhar e torcer pelo alvi-verde pela TV, eu sempre fui ao estádio torcer por outras cores: o azul e vermelho. O porco me garantia grandes alegrias de longe, mas quem me garantia fortes emoções ao vivo era o leão. Foi a partir de 1996 que passei a ter a tradição de ir para o estádio com os amigos acompanhar os jogos do Cianorte Futebol Clube. Nos aproveitamos da promoção que permitia que crianças menores de 7 anos entrassem de graça até muito depois dessa idade.

O campeonato era bem menos pomposo do que o Brasileirão ou a Libertadores, mas torcer pelo sucesso improvável do Cianorte na 3ª divisão do Campeonato Paranaense era tão intenso quanto. E ainda contava com uma vantagem que o Palmeiras nunca pode me oferecer: o contato direto com o time, a alegria de fazer parte da torcida.

Continue lendo…

81120121731553

Novo FIFA Street em desenvolvimento

Já faz um certo tempo que não vejo a menor graça nas duas grandes franquias de futebol que temos. E o motivo é a falta de real inovação tanto no FIFA quanto no Pro Evolution Soccer. Não estou falando nos desnecessários esforços para trazer os gráficos e movimentos do jogos o mais próximo do real possível. Me refiro a algo que traga a diversão de volta a essa categoria de games. A EA Sports deu um passo importante e anunciou que o FIFA 16 terá Ligas Femininas, o que já é um belo atrativo diferencial. Mas só isso é muito pouco.

A real solução para o problema está na ressurreição do último jogo de futebol que trouxe diversão real em seu conteúdo: o FIFA Street. E tudo indica que isso está prestes a acontecer. A foto publicada por um jogador alemão profissional  de futsal no Instagram praticamente comprova que uma nova edição do jogo está em desenvolvimento.

Motion capture Fifastreet. First tricks of Fifastreet with @touzani7 #canada #vancouver #easports #youngboy

Uma foto publicada por Kenan Koseoglu (@kenan_koseoglu_official) em

A EA Sports não confirma nem nega a informação. Mas eu já estou ansioso para jogar futebol em um console da nova geração e, quem sabe, me divertir fazendo isso.

 

padania.jpg

Viva World Cup: a Série B da Copa do Mundo de Futebol

Quando Felipão (vulgo Luiz Felipe Escolari) foi escolhido para substituir Mano Menezes como técnico da seleção brasileira, vi muita gente falando “ainda bem que a Copa do Mundo não tem série B”, numa referência ao resultado do trabalho dele no Palmeiras. Mas não é que existe uma série B da Copa do Mundo?

Tudo começou com uma dúvida. Eu queria saber se a FIFA tem direito de monopolizar mundialmente a prática do futebol ou se poderiam existir ligas alternativas. Pelo Twitter, o Vitor Hugo me alertou a existência da NF-Board, uma federação alternativa para nações que, por não serem reconhecidas como estados, não podem ter confederações e se afiliarem a FIFA.

Entre os membros da NF-Board encontramos nações conhecidas, como Mônaco e Tibet, e outras não tão ilustres, como Camarões do Sul e Gozo (uma ilha de Malta do tamanho de um espermatozoide). Os afiliados se reúnem em uma disputa sem periodicidade definida (acontece quando dá) chamada VIVA World Cup.

Viva World Cup

O atual campeão da Viva World Cup foi o anfitrião de 2012, Curdistão, uma região do Oriente Médio habitada pelos curdos, maior etnia sem estado do mundo (são 26,3 milhões de curdos). A maior vencedora é a tricampeã Pandânia, região do norte da Itália com tendências separatistas.

Torcida da Pândania

Torcida da Pândania e uma bandeira intrusa da Inglaterra.

Além da NF-Board, existem várias outras federações e associações que organizam futebol alternativas à FIFA.

 

Felipão na VIVA World Cup?

Bem, o único modo do Felipão colocar brasileiros nessa “Série B” da Copa do Mundo é incitando uma revolução gaúcha (o que não deve ser tão difícil),  associar a federação gaúcho à NF-Board e pronto. Provavelmente teríamos uma final entre Pandânia e República Rio-grandense (seja lá como irão chamar) na próxima VIVA World Cup (seja lá quando vai acontecer).

Já o Brasil, que ainda não é uma nação propriamente dita, não deixará de ser um estado, pelo menos não nos próximos 100 ou 200 anos.

Confusão na torcida do Coritiba é culpa do pai da criança

Confusão na torcida do Coritiba é culpa do pai da criança

PERGUNTA

Se você leva seu filho ao zoológico e o coloca dentro da jaula porque ele quer ver o leão, a culpa é do leão ou sua se a criança for atacada?

Neste domingo rolou uma confusão após o jogo Coritiba x São Paulo. O jogador Lucas do São Paulo foi presentear uma garota de 13 anos com seu uniforme. Acontece que a garotinha estava no meio da torcida do Coritiba é foi aí que começou a confusão. Veja:

Não estava lá, então vou dizer que as imagens mostram e reportagens disseram:

  • Segundo Lucas, a menina passou o jogo inteiro gritando seu nome. No meio da torcida do Coritiba.
  • Quando Lucas caminha para entregar a camiseta, a torcida do Coritiba observa a cena, meio incrédula. Lucas tinha acabado de dar o passe para o gol que fez o Coritiba “perder” 2 pontos.
  • Quando Lucas entrega a camiseta, a menina JÁ ESTÁ cercada. Os torcedores querem que ela devolva a camiseta e que Lucas vá embora dali.
  • Não existe agressão, existe uma luta para tirar a camiseta da menina, enquanto isso os torcedores xingam Lucas.
  • Imediatamente após a camiseta ser devolvida ao Lucas, todos se afastam da menina e DISCUTEM com o pai, mas novamente NÃO HÁ BRIGA.
  • O pai e a garota se encaminham para os policiais, denunciando a atitude de alguns torcedores.
  • A polícia dispersa todos e, basicamente, nada acontece.

O que aconteceu ali foi obviamente muito menos do que poderia ter acontecido em diversas outras situações, como as próximas pessoas que condenam a torcida do Coritiba dizem. Segundo eles, a reação dos torcedores foi exagerada porque o Coritiba nem é tão grande e o São Paulo nem é um rival. Na verdade isso significa que se o Coritiba “fosse grande” e rival do São Paulo, a pancadaria seria generalizada. Afinal de contas, é certo que pouca coisa mudou desde que são-paulinos e palmeirenses se mataram em 1995, numa final de… juniores.

briga-torcidas-palmeiras-saopaulo-final-taca-sao-paulo-juniores-1995

As pessoas partiram para cima da torcida do Coritiba como se aquela fosse uma atitude violenta e indelicada totalmente isolada do que acontece. Condenável sim, mas não é isolada e todos sabem tanto disso que tudo é planejado pensando-se nos torcedores violentos.

As entradas são separadas, os lugares na arquibancada são separados, geralmente uma torcida de cada vez sai ao fim do jogo. Tudo isso para evitar que torcedores de clubes diferentes se encontrem. Eles fazem isso porque acreditam na civilidade dos torcedores? Eu sei que não.

Lucas fez um protesto justo no twitter,

E nisso ele tem razão, temos que tornar, TORNAR nosso país digno, porque ele não é. Essa é a situação. Organizamos competições esportivas para que selvagens possam ser selvagens. Aí nos surpreendemos quando demonstram sua selvageria.

Eles são levados a crer que agir assim é o certo, já que ninguém os impede, pelo contrário, os incentivam. É assim que funciona em todos os jogos do campeonato brasileiro. Brasil é isso e vai continuar sendo enquanto fingirem que não enxergam.