Porque ficar longe da internet em dias pós-tragédias

Neste fim de semana o Brasil viveu uma tragédia da qual você já deve saber mais até do que devia. Em casos como esse o mais sensato a se fazer é respeitar-se um período de luto e tomar as providências para que jamais aconteça de novo. Porém se sensatez fosse o forte do ser humano nem teríamos tragédias como essa.

E assim como alguém acende um sinalizador dentro de um ambiente fechado e aponta para um telhado forrado de material altamente inflamável, essas pessoas também não se dão ao luxo de pensar antes de reagir. Se dividem basicamente em:

Fanáticos: religiosos, ateus, capitalistas, comunistas, pessoas que odeiam certo canal de televisão. No anseio de apontar culpados e pela incapacidade de ampliarem a visão de mundo, focam naquilo que são acostumados a focar.

Juízes: apontam culpados e decidem as penas com o mínimo de informação disponível sobre o caso. Quando descobrem que estavam errados, não pedem desculpas, pois é tempo de achar novos culpados. Tem como costume jogar a responsabilidade em leigos, em terceiros sem relação alguma com o caso ou nas próprias vítimas.

Sentimentais: esses não tem culpa de terem nascido sensíveis demais, mas atrapalham bastante ao dar ênfase ao que já é dramático por natureza.

Aproveitadores: políticos, empresários, artistas e todo aquele que quer moldar a própria imagem usando a tragédia como pano de fundo.

Replicadores: é nessa categoria que a maioria se encaixa. São pessoas normais que, ao ver os comentários absurdos dos descritos acima, se revoltam e, além de ampliar a voz destes, muitas vezes acabam se tornando iguais. Como por exemplo um ateu que se revolta com um comentário de um religioso e começa a atacar as religiões ou alguém que vê seu desafeto se aproveitando da situação e aproveita para tentar manchar sua imagem.

Todos esses agentes tornam a internet um ambiente impossível e somado a mídia sensacionalista a coisa só piora. Isso acontece a cada nova tragédia, em todas as tragédias, de qualquer dimensão. O melhor a se fazer é se afastar ou evitar o assunto na internet.

Mas nem tudo está perdido: Saiba como ajudar as vítimas da tragédia.

cropped-negão20132.png

Calendário de matérias jornalistícas que passam todo ano

calendário de matérias jornalísticas

Atenção: você está fadado a assistir as matérias abaixo TODOS OS ANOS DE SUA VIDA se você acompanhar TV aberta ou canais de notícia convencionais. A maioria delas é EXATAMENTE IGUAL, não muda nada, no máximo a qualidade da imagem. Confira:

Janeiro

  • Planejamento financeiro
  • Resultados do ENEM e matrículas do SISU
  • Volta às aulas (comparação de preço dos materiais escolares)

Fevereiro

  • Preparativos para o Carnaval
  • Carnaval
  • Problemas e mortes no carnaval
  • Escolas campeãs do carnaval
  • Matérias de começo de ano
  • Empregos temporários da Páscoa

Março

  • Como são feitos os ovos de páscoa
  • Qual chocolate é melhor: amargo ou doce
  • Como economizar na compra do ovo de páscoa
  • Coelhinhos: onde vivem, como se reproduzem e que diabos tem a ver com a páscoa.

Abril

  • Dia da mentira: onde surgiu, quais foram as maiores pegadinhas e que graça tem isso.
  • Chocolates muito mais baratos depois da páscoa: entrevista com trouxas que compraram antes e pão-duros que deixaram pra depois.

Maio

  • Dia do Trabalho: sindicatos gastando o dinheiro do trabalhador em shows de Zezé de Camargo & Luciano.
  • Noivas
  • Casamento

Junho

  • Festas juninas
  • Chegada do frio
  • Competição esportiva do ano (Copa América ou Copa das Confederações ou Jogos Panamericanos ou Olimpíadas)

Julho

  • Festas julinas

Setembro

  • Festas setembrinas e gente que não sabe quando parar
  • Desfiles da independência como se alguém se importasse
  • Preparativos dos EUA para 11 de setembro
  • Novas informações sobre o que aconteceu em 11/09/2001
  • Galera muito triste onde era o World Trade Center

Outubro

  • Felicidade na Oktober Fest
  • Como economizar no Dia das Crianças
  • Tutorial: Comemorando halloween do jeitinho que os americanos fazem.

Novembro

  • Reportagem do dia de finados contendo obrigatoriamente: asiáticos, católicos e pessoas visitando o túmulo do Chico Xavier.

Dezembro

  • Compras, compras e mais compras
  • Réveillon: onde passar?
  • “Copacabana terá mais fogos e mais gente do que o ano anterior”
  • “Comer lentilha dá sorte mesmo?”
  • Retrospectivas everywhere

Sistema jornalístico de medidas

Reparei ontem ao assistir o telejornal que os jornalistas usam um sistema próprio de medidas baseado na comparação, para que pessoas que não tem nenhum contato com a ~ciência~ possam ter uma ideia da dimensão das coisas. Veja como funciona o sistema basicamente.

sistema jornalístico de medidas

 

Exemplo:

Eu meço cerca de 2/3 de andar, ontem choveu granizo do tamanho de uma bola de tênis, meu coração bombeia cerca de um copo de sangue por segundo (será?) e quando bebo creio que posso encher duas piscinas olímpicas de urina.