Naldo agora é Naldo Benny: entenda o que muda na conjuntura sócio-política do mundo

Naldo muda de nome para Naldo Benny

Já faz 2 meses que Naldo mudou de nome para Naldo Benny e pouca gente percebeu. Isso dentro das fronteiras de nosso amado Brasil, porque lá fora todos não falam de outra coisa. Mas as implicações desta revolução não se limitam ao campo da música. Naldo, o Chris Brown brasileiro que é muito melhor que o original, ao acrescentar Benny ao nome gerou um efeito cascata que resultou em:

As transações comerciais entre Brasil e União Europeia cresceram 37%: o produto mais beneficiado foi o chocolate.

O alcoolismo caiu 2% na Rússia (o que não acontecia há… nunca aconteceu): alguns trocaram a vodca pela água de coco.

A ONU avaliou o protecionismo americano como “exagerado”: isso faz tão bem para economia brasileira, me diz o que é que tem?

Segundo especialistas, a numerologia do novo nome joga o clima lá o alto. Alto, em cima! Alto, em cima! Alto, em cima! Alto, em cima! Em cima! Em cima! Em cima! Em cima!

 

Curta ou compartilhe esse post, pra mim tanto faz, eu já tô cheio de tesão e cada vez eu quero mais.

André Marques fez o Mocotó. Que bom!

Se você não lembra, André Marques, que hoje é repórter ou algo assim em reality show de música, um dia já foi ator e interpretou um dos personagens mais místicos de Malhação. Isso mesmo, muito antes de Cabeção ou seja lá quem é o personagem principal dessa série hoje em dia, Mocotó era figura presente na acadêmia que era o ponto central do programa. A história mudou bastante, hoje em dia não existe academia nenhuma (o que deixa o nome “Malhação” inexplicável, já que a única coisa que aqueles garotos malham é o Judas), mas a lembrança do melhor trabalho já feito por André Marques continua.

André Marques poderia muito bem voltar a fazer o Mocotó agora que ele ficou magro novamente, né? E é claro que essa música seria sua trilha sonora. Fica a dica para a Globo.

 

andre-marques

stereodose

Ouça uma playlist baseada (hã hã hã?) em uma droga

stereodose

Nada me agrada mais nessa era pós-MP3 do que a quantidade de serviços para descobrir músicas que existem por aí. E um desses serviços é o StereoDose. Nele, basta escolher uma quatro drogas disponíveis (maconha, ecstasy, lsd e cogumelos), um humor relacionado a essa droga e pronto, o site seleciona uma playlist para te ajudar a curtir sua trip.

Mas se você for como eu e só curte drogas lícitas, o site serve ouvir e descobrir músicas diferentes, ficando num mesmo clima. É gratuíto e oferece apenas a opção de favoritar as músicas e criar playlists próprias a quem se cadastrar.

Clipe oficial de One Way Trigger, do Strokes

O clipe oficial da nova música do Strokes foi gravado no Brasil secretamente e passa o exato sentimento que a composição deseja passar.

Para o fã que ficou curioso, aí está o “quem é quem” do clipe:

  • FOFÃO = Albert Hammond Jr.
  • PALHAÇO = Nick Valensi
  • MICKEY = Julian Casablancas
  • CAP. AMÉRICA = Fab Moretti
  • POPEYE = Nikolai Fraiture

Veja como será a abertura das Olimpíadas Rio 2016

Ou pelo menos como deveria ser. Explicação abaixo do vídeo.

Veja bem, só nos primeiros 20 segundos do vídeo já encontramos mais elementos exclusivamente brasileiros do que qualquer produtor / carnavalesco / cineasta poderia imaginar.

0:01 – Afro-brasileiro usando camisa amarela com uma mata verde nativa e um muro com reboco ao fundo;

00:05 – pessoas danças com os pés descalços ou de sandálias havaianas, no chão ou em bancos públicos, com figurino de baixo orçamento;

0:06 – dancinha nas escadarias de algum morro;

00:15 – uma Kombi detonada;

00:19 – descendo o morro, bandeira nacional pintada no muro;

Coloque isso, O Canto Alegretense e Asa Branca e teremos uma abertura fidedigna.