6 coisas boas que as cotas raciais já fizeram para o Brasil e porque não precisamos mais delas

revista-epoca-cotas-raciais.jpg

O Supremo Tribunal Federal votou a favor da legalidade das cotas raciais para negros em universidades e irritou muita gente. As pessoas falam como se a decisão OBRIGASSE as universidades a adotarem as cotas, falam em RACISMO INSTITUCIONALIZADO e em uma exclusão das oportunidades para pessoas brancas. Tudo isso, obviamente, é uma grande besteira.

Não que é preciso ser favorável as cotas ou que elas sejam a melhor opção, mas essa tendência de inflar seus efeitos e, sutilmente, culpar os negros por seus aspectos negativos é exatamente o que, com 500 anos de ignorância, fez com que elas surgissem.

De minha parte, os movimentos negros já deveriam iniciar um movimento para colocar um prazo (de preferência, bem curto) para o fim das cotas. Isso porque os resultados já colhidos, se bem lapidados, podem ser suficientes para um futuro menos discrepante. Entre eles destaco:

1) Obrigaram todos a se posicionaram na questão racial

Antigamente, apenas alguns movimentos de negros e mulatos específicos lutavam pelo direito de serem tratados como iguais perante a sociedade. Disso, surgiram leis que combatem o racismo (que ao contrário do que muitos pensam e dizem, beneficiam todas as raças, desde que se comprove a discriminação). Apenas essas entidades costumavam se posicionar com o tal do “todo mundo é igual, independente da raça”.

Esse discurso foi convenientemente ignorado até o surgimento da primeira cota. Aí todo mundo abraçou a ideia do “todo mundo é igual, independente da raça”. Todos falam que a capacidade intelectual do ser humano independe do teor de melanina e tal. Ótimo, então já temos um ponto de partida.

2) Reabriram a questão histórica da escravidão

Dos 512 anos de história do Brasil, os negros passaram 388 como escravos. A abolição da escravatura da forma como aplicada apenas tirou os negros da senzala para joga-los nas valetas, nos becos e nos morros, onde até hoje a maioria vive. As ocupações exercidas pelos negros passaram a ser executadas por italianos, portugueses…

Durante os últimos 124 anos os negros batalharam para sair do prejuízo. E contra o preconceito, as péssimas condições, contra a cultura impregnada em nossa história que os subjugavam ao trabalho pesado e sem exigência de muita capacidade intelectual, vinham conseguindo seu espaço na sociedade. Talvez com mais 100 ou 200 anos já não haveria sequer lembrança dessa época, pois os negros finalmente teriam superado essa desvantagem.

Porém o governo sentiu necessidade de acelerar esse processo e o fez de um jeito rápido, barato, porém nada indolor. Essa é a definição das cotas raciais.

3) Criaram uma cultura nova entre os negros

Todo esse barulho afetou os negros avulsos de duas formas: uns quiseram aproveitar a oportunidade das cotas para entrarem em uma universidade decente, outros passara a se esforçar mais para mostrarem que são auto suficientes.

Além disso, agora as novas gerações tem mais exemplos de sucesso para seguir.

4) Tornaram quase unanimes as opiniões quanto as cotas sociais

As pessoas são tão avessas as cotas raciais que passaram a aceitar mais facilmente as cotas sociais. Isso é sinal de que estão mais informadas e entendem um pouco melhor do processo.

A essa altura as cotas sociais, desde que bem aplicadas, beneficiariam tanto os negros quanto as cotas raciais.

200px-Protesto_contra_o_sistema_de_cotas.jpg

Eu disse quase unanimes, rs

5) Legitimaram as ações afirmativas

Agora não tem mais choro de Democratas que faço efeito: as ações afirmativas, sejam elas de qualquer espécie, são constitucionais e legitimas. É importante frisar, antes que se generalizem as desinformações, que a decisão do STF foi sobre isso, a legitimidade das cotas, não a obrigatoriedade dela.

Agora, cada universidade pode aplicar um sistema, repensar o seu, ou mesmo ser indiferente. Se você é contra a aplicação de cotas raciais na sua universidade, fique atento, todas elas tem autonomia e decidem por si se vão ou não te-las.

6) Deram o pontapé para um Brasil justo

Muita gente disse que as pessoas que se sentirem prejudicadas com as cotas hoje poderão, um dia, exigir alguma vantagem, assim como “os negros pediram vantagens devido ao racismo”. Bom, duvido que o sistema de cotas raciais dure 388 anos, mas acho que se houver prejuízo a alguém, que seja corrigido. Até quando? Até que não faça mais sentido se beneficiar esse ou aquele lado.

É por isso que, agora que várias feridas quase cicatrizadas foram cutucadas com força, acho que as cotas devem ser retiradas, mas que sejam feitas essas ressalvas e todos percebam que o advento delas nos deu a consciência necessária para perceber que elas são desnecessárias.

Recent Posts

Arquivos

Categorias