Coleções dos anos 90

Hoje em dia vejo pouca gente se apegando à coleções. O máximo que os adolescentes colecionam são revistas do Luan Santana, Justin Bieber, Restart… Nada contra, se eles gostam, então que seja. Mas achava as coleções feitas nos anos 90 muito mais interessantes. Seguem abaixo exemplos.

Latinhas de Cerveja

Lá no início dos anos 90, a idéia de juntar diferentes latinhas de cerveja e, às vezes, de refrigerante se espalhou como uma febre entre todos. era difícil uma casa onde ao menos um dos membros da família não ostentava uma robusta (ou humilde) coleção de latinhas de todas as cores e origens.

O Rafa Gallas ainda tem toda sua coleção e sempre mostra item à item no seu blog: http://rafagallas-minhacolecaodelatas.blogspot.com/

Cartões telefônicos

Tão logo o sistema dos orelhões mudou de ficha para cartão, a idéia de colecionar cartões tomou conta da garotada e dos adultos também. Sabendo disso, as empresas trataram de caprichar na variedade e na qualidade das artes dos cartões. Existiam coleções cobiçadíssimas, como a que trazia um grupo da Copa de 98 em cada cartão. Não era fácil completar aquela. Eu cheguei a colecionar por um tempo. Até tinha aquelas pastas personalizadas.

Hoje é improvável que alguém continue colecionando. Primeiro, todos tem celulares e orelhões estão em desuso. Segundo, as empresas não personalizam mais seus cartões, que hoje só vem com o valor e o número de minutos…

copadomundode2002

Figuras premiadas

Não sei se aquele tipo de figura tinha um nome especifico, então coloquei esse. Tratavam se de álbuns que premiavam quem completasse uma determinada seqüência de figurinhas. Todo mundo tinha um álbum daquele, que era distribuído gratuitamente.

Ué, se era distribuído gratuitamente, como ganhavam dinheiro?

Cada pacote de figurinhas, com 3 figuras, custava 1 real. Como o objetivo era ganhar os prêmios, as crianças compravam com esperança de completar os intervalos com os melhores prêmios, como um Vídeo Cassete ou um Walkman, coisas hoje extintas.

Mas isso nunca acontecia, porque todos tinham as mesmas figuras repetidas e para todos faltava a mesma figura, que era produzida em uma escala absolutamente menor que as outras. Entendeu?

Tampinhas

Loucura, mas acontecia. Muitos amigos saiam atrás das bebidas mais bizarras apenas para guardar as tampinhas. Até tampinhas premiadas de promoções aleatórias eram guardadas, pois eram extremamente raras. Ou seja, o rapaz deixava de ganhar o prêmio para fortalecer a coleção. Fanatismo é isso.

 

Tazos

Essa coleções marcou a geração anos 90. Os tazos simplesmente se tornaram parte de nossas vidas. Tazos eram esses objetos circulares abaixo:

Bater tazo era semelhante à bater figurinha. O objetivo era virar os tazos. Muitos garotos conheceram a dor de perder tudo em campeonatos de tazo nos fins de semana. Além do Tazo em si, existia o master Tazo (um Tazo maior, que servia para jogar nos outros tazos e vira-los), o porta-Tazos (nome auto-explicativo) e um tazo voador cujo o nome eu não lembro.

Esse, do Looney Tunes, é o primeiro que me lembro. Saudades.

 

 

E você, lembra de alguma coleção que faziam na década retrasada (é, faz tempo…)? Fale aí nos comentários!

Recent Posts

Arquivos

Categorias